Pular para o conteúdo
Navegando na Incerteza: Estratégias de Sucessão e Liderança Frente à Rotatividade de CFOs

Navegando na Incerteza: Estratégias de Sucessão e Liderança Frente à Rotatividade de CFOs

Compartilhe

“`html





Desenvolvimento de lideranças em meio à incerteza econômica e rotatividade de CFOs

Desenvolvimento de lideranças em meio à incerteza econômica e rotatividade de CFOs

O desenvolvimento de lideranças tem se tornado um desafio crescente em meio à incerteza econômica global. Um estudo recente da consultoria Russell Reynolds, especializada em desenvolvimento de lideranças, revelou que mais de 80 novos diretores financeiros foram nomeados no primeiro trimestre de 2024. Esse dado, parte do Índice Global de Rotatividade de CFOs, destaca uma tendência significativa: a rotatividade de CFOs como um reflexo das condições econômicas instáveis. As empresas estão se adaptando a esse novo normal, implementando planejamentos sucessórios robustos e priorizando talentos internos para garantir estabilidade nas mudanças de liderança.

Impacto da Incerteza Econômica no Mercado Econômico

As turbulências econômicas internas e externas têm gerado uma dança das cadeiras dentro das maiores companhias globais. A incerteza econômica tem se tornado uma constante, afetando diretamente o mercado econômico e a estabilidade das organizações. Segundo o Índice Global de Rotatividade de CFOs, mais de 80 novos diretores financeiros foram nomeados no primeiro trimestre de 2024, evidenciando a volatilidade do cenário atual.

Essa rotatividade elevada é um indicador de tendências mais amplas do mercado de forma geral. As empresas estão se acostumando com o cenário e realizando planejamentos sucessórios dentro das organizações. Com 55% dos novos gestores da área de Finanças sendo talentos internos, observa-se uma estabilidade nas mudanças na cadeira, mesmo em tempos de incerteza econômica.

Fernando Machado, sócio-diretor da Russell Reynolds e líder de prática financeira, afirmou que as organizações estão sendo capazes de administrar melhor o cenário, com planos de sucessão mais robustos. A preferência por CFOs mais experientes para navegar no mercado econômico complexo tem sido uma estratégia adotada por muitas empresas.

Rotatividade de CFOs e Sucessão Organizacional

A rotatividade de CFOs é um reflexo direto das condições econômicas instáveis. As empresas estão se adaptando a esse novo normal, implementando planejamentos sucessórios robustos e priorizando talentos internos para garantir estabilidade nas mudanças de liderança. A nomeação de mais de 80 novos diretores financeiros no primeiro trimestre de 2024 é um indicativo claro dessa tendência.

O estudo da Russell Reynolds destaca que 55% dos novos gestores da área de Finanças são talentos internos. Isso mostra que as empresas estão investindo no desenvolvimento de lideranças internas para garantir uma transição suave e eficaz. A preferência por CFOs mais experientes também é uma estratégia para lidar com a complexidade do mercado econômico atual.

As organizações estão se acostumando com o cenário de incerteza econômica e estão sendo capazes de administrar melhor o cenário. Planos de sucessão mais robustos e a priorização de talentos internos são medidas que têm contribuído para a estabilidade nas mudanças de liderança.

Desenvolvimento de Lideranças em Tempos de Incerteza

O desenvolvimento de lideranças é crucial em tempos de incerteza econômica. As empresas estão investindo em programas de treinamento e desenvolvimento para preparar seus líderes para enfrentar os desafios do mercado econômico atual. A rotatividade de CFOs é um reflexo das condições econômicas instáveis, mas também uma oportunidade para as organizações fortalecerem suas lideranças internas.

Os planos de sucessão robustos e a priorização de talentos internos são estratégias que têm se mostrado eficazes. As empresas estão se adaptando ao novo normal e estão sendo capazes de administrar melhor o cenário. A preferência por CFOs mais experientes é uma medida que tem contribuído para a estabilidade nas mudanças de liderança.

O estudo da Russell Reynolds destaca que as organizações estão investindo no desenvolvimento de lideranças internas para garantir uma transição suave e eficaz. A nomeação de mais de 80 novos diretores financeiros no primeiro trimestre de 2024 é um indicativo claro dessa tendência. As empresas estão se acostumando com o cenário de incerteza econômica e estão sendo capazes de administrar melhor o cenário.

Europa vai ao interior da Bahia

Umas das maiores e mais tradicionais empresas brasileiras do setor de filtros, a Europa Purificadores vai investir, em parceria com a startup de impacto socioambiental Sustainable Development & Water For All (SDW), na campanha Elas por 40 para arrecadar fundos e doar dispositivos de desinfecção da água na região de Lage dos Negros, no interior da Bahia, que não têm acesso à água tratada. Com faturamento de mais de R$ 1 bilhão no ano passado, a empresa comandada pela herdeira e CEO Manuella Curti quer se consolidar como uma protagonista nas ações de apoio a comunidades carentes no País.

Wayra acelera nas aquisições

A Wayra Brasil, fundo de Corporate Venture Capital da Vivo, acaba de incorporar mais uma startup ao seu portfólio: a Fiibo, multiplataforma de saúde e bem-estar. A Wayra, sob comando do executivo Phillip Trauer, não revela os valores por rodada, mas afirma que os cheques são de até R$ 2 milhões nas empresas early stage. A startup tem como proposta democratizar o acesso à saúde corporativa, conectando prestadores de serviços de saúde a empresas. Já são mais de 1,2 mil produtos ofertados na plataforma, como planos de saúde e odontológicos, telemedicina, nutrição, procedimentos estéticos, vacinas, pacotes de consultas, medicamentos e exames.

Mais caldo no feijão

A Kicaldo, marca líder no segmento de feijão, vai investir R$ 45 milhões para inaugurar uma nova fábrica na Bahia, a mais moderna do segmento no País. A nova unidade, nos arredores de Feira de Santana, será a maior em produção de farofa e terá portfólio de mais de 20 itens. Temos uma tradição já consolidada com nossos grãos e estamos trazendo a mesma qualidade para a nossa farofa, disse o fundador e presidente, Mauro Bortolanza.

Foco total nas simbioses possíveis

O empresário Ricardo Al Makul, fundador do Knowledge Exchange Sessions (KES), plataforma especializada em treinamento de líderes, vai promover na Bahia, em agosto, o KES Summit 2024, sob o tema Simbioses Possíveis. A ideia é reunir líderes globais para discutir parcerias entre diferentes setores para gerar soluções inovadoras para desafios complexos, desde crises climáticas até questões de saúde mental e tecnologia. Entre os participantes já anunciados para a edição estão nomes como Galit Ariel, escolhida em 2022 pela Forbes como uma das 40 futuristas mais influentes do mundo, e Jahkini Besselink, pesquisadora e consultora em geração Z e ex-Youth Representative da ONU. A rede do KES tem hoje 800 especialistas, incluindo Amy Webb, Jaron Lanier, Muhammad Yunus e Juan Manuel Santos.



“`

Conteúdo publicado via Publicaí

Inscreva-se no Newsletter

Mais recentes

Fique por dentro de tudo que acontece no Marketing de Comunicação

Cadastre-se e receba nossos artigos e materias em primeira mão!