Pular para o conteúdo
Publicidade, Brasil lidera mercado de Adtech e deve atingir US$ 40 bi até 2028

Publicidade, Brasil lidera mercado de Adtech e deve atingir US$ 40 bi até 2028

Compartilhe

Publicidade na América Latina, Oriente Médio e África (LAMEA), relatório sobre o mercado de tecnologia em publicidade deve registrar um crescimento anual de 18,3% ao longo dos próximos quatro anos.

O mercado brasileiro de Adtech domina o segmento entre os países da América Latina, Oriente Médio e África (LAMEA) e vai permanecer na liderança até 2028, quando atingirá US$ 40 bilhões de valor de mercado. A expectativa consta do relatório “Evolução AdTech da LAMEA: Estudo e Projeção Abrangentes, 2022-2028”, publicado neste mês pela plataforma ReportLinker.

Segundo dados do relatório, os países do grupo LAMEA devem registrar uma taxa de crescimento anual composto (CAGR) de 18,3% durante o período de previsão (2022-2028). O documento abrange análises dos principais stakeholders de tecnologia de publicidade, entre eles, Adobe, Facebook (Meta Platforms, Inc.), Microsoft Corporation, Google LLC (Alphabet, Inc.) e Amazon (SpotX).

As expectativas são animadoras para os profissionais desse setor, que engloba ferramentas e software que os anunciantes usam para alcançar públicos, conduzir e analisar métricas de campanhas digitais publicitárias, além de abranger vendas de diferentes tipos de dispositivos como periféricos de computador, empregados na prestação de serviços. No entanto, conforme alerta Alexander Bachmann, CEO do grupo Mitgo, boas previsões não são suficientes para sustentar um setor em expansão.

“O cenário publicitário está passando por transformações profundas, impactando todos os participantes, desde proprietários de plataformas até investidores, que devem se manter atualizados sobre as tendências do mercado Adtech para aprimorar estratégias publicitárias e permanecer à frente da concorrência”, comenta Bachmann.

Para contribuir com a preparação e atualização dos profissionais da área, Bachmann elencou sete tendências emergentes de Adtech.

Publicidade direcionada ao comércio

A publicidade continuará a se alinhar ao comércio, permitindo uma mensuração mais eficaz do impacto dos anúncios, inclusive, em lojas físicas. Exemplos como a integração de cupons com desconto nos anúncios de busca do Google, destacam a busca por reduzir a lacuna entre as atividades online e offline.

IA na publicidade

A inteligência artificial (IA) moldará profundamente o futuro da publicidade, capacitando anunciantes a identificar públicos-alvo, criar criativos de anúncios e otimizar campanhas de forma automatizada. À medida que tecnologias de IA mais avançadas surgem, é crucial para os anunciantes entenderem suas capacidades e limitações.

Uso criativo de dados primários

Com a diminuição do uso de dados de terceiros, os anunciantes devem explorar maneiras inovadoras de atingir seu público-alvo, concentrando-se em dados fornecidos pelos usuários (dados primários). Redes de mídia varejista, como a Amazon, se destacam como fontes valiosas desses dados, permitindo anúncios mais direcionados.

Fabricantes de celulares como fontes de dados

Fabricantes de dispositivos, como Samsung e Apple, serão fundamentais como fontes confiáveis de dados, oferecendo aos anunciantes acesso a informações valiosas dos usuários. Dados primários provenientes desses dispositivos permitem uma personalização mais eficaz, com menor percepção de interrupção.

Campanhas integradas em mídias cruzadas

Avanços tecnológicos possibilitam a integração perfeita de anúncios nas conversas cotidianas, permitindo uma alocação estratégica de orçamentos com base no conteúdo específico. Essa abordagem proporcionará uma experiência de marketing contínua em diversos canais.

Mudanças na avaliação de publicidade e transparência nas receitas do Google

Mudanças significativas, como a transição para a avaliação por clique pelo Google, buscam maior transparência nos acordos de compartilhamento de receitas. Essas alterações facilitarão a comparação de métricas entre parceiros, promovendo uma abordagem mais transparente no ecossistema publicitário.

Automação na compra de anúncios

A automação continuará a ganhar destaque na compra de anúncios, simplificando o processo, embora apresente desafios em relação ao controle sobre a colocação de anúncios. Recursos automatizados, como os oferecidos pelo Google, otimizam orçamentos, proporcionando eficiência aos investidores, embora novos investimentos em projetos estabelecidos possam ser mais desafiadores.

Fonte: channel360.com.br.

Publicado: 05/02/2024 às 20:31.

Conteúdo publicado via Publicaí

Inscreva-se no Newsletter

Mais recentes

Tecnologia

PMEs lideram investimentos em tecnologia

Investir em tecnologia é uma exclusividade das grandes empresas? Uma pesquisa da Cortex, plataforma de inteligência de dados voltada para vendas, mostra que não. Segundo

Fique por dentro de tudo que acontece no Marketing de Comunicação

Cadastre-se e receba nossos artigos e materias em primeira mão!